TERMOPARES Tungstênio – Rhênio

Ao longo dos anos, os tipos de termopares produzidos oferecem, cada qual, uma característica especial porém apresentam restrições de aplicação, que devem ser consideradas.

Tungstênio – Rhênio

Tungstênio/ Tungstênio 26% Rhênio

Tungstênio 3% Rhênio/ Tungstênio 25% Rhênio

Tungstênio 5% Rhênio/ Tungstênio 26% Rhênio


Destes, o primeiro é o mais “barato”, porém o “braço” de Tungstênio puro está sujeito a tornar-se quebradiço. 

Esses termopares podem ser usados continuamente até 2300°C e por curto período até 2750°C no vácuo, na presença de hidrogênio puro ou gás inerte. A ASTM (American Society for Testing and Materials) tem publicado padrões para os termopares 3/25 e 5/26 com uma tolerância de ± 1%. Isolação de BeO ou Th02 tem sido recomendada para estes termopares, embora alguma reação possa ocorrer entre os fios e a isolação no limite superior à temperatura de utilização.

Irídio 40% Rhodio/ Irídio
Termopares feitos a partir de proporções variáveis destes dois elementos. São os únicos que podem ser usados sem proteção no ar até 2000°C embora, somente por períodos limitados.
Podem ser usados no vácuo ou atmosfera inerte. Os fios tornam-se quebradiços e frágeis devido ao crescimento dos grãos após longo período de exposição a altas temperaturas.

Platina 40% Rhodio/Platina 20% Rhodio
Esses termopares são utilizados em substituição ao Termopar Tipo “B” onde temperaturas um pouco mais elevadas são requeridas. Podem ser usado continuamente até 1600°C e por curto período até 1800°C ou 1850°C.

Ouro Ferro/Chromel
Estes termopares são desenvolvidos para trabalhar em temperaturas criogênicas e podem ser usados até -272, 15°C, porém o coeficiente de Seebeck,” d? / dT” , sofre uma redução abaixo de -268,15°C, o qual é o limite mais realístico.
Tabelas de referência têm sido publicadas pela NBS (National Bureau of Standards).

Comments are closed.